Qual a melhor forma de fazer a leitura dos dados dos consumidores para ganhar negócios em vez de perdê-los é a pergunta que muitas marcas se fazem. A grosso modo, a resposta é não estereotipar o resultado da leitura dos dados que mostram o perfil do consumidor da marca, seus hábitos e necessidades. Isso já é um bom começo. E faz toda diferença para crescer.

A tendência natural é a companhia identificar o público e tomar a maior fatia como alvo do seu produto. Mas é possível, sim, usar os dados dos consumidores e seus hábitos para conquistar um público novo também. Basta que haja uma mudança na forma de atuar e, principalmente, de pensar das empresas.

Use dados e mapeie novos públicos

E isso é fácil de assimilar para começar a mudar. Um exemplo simples é uma marca de roupas de ginástica. Se o foco maior dela for sempre consumidores que já estão na academia – o que pode ter sido mostrado pelos dados coletados em pesquisa, por exemplo – e ela fechar os olhos aos outros públicos que apareceram nessa análise de dados, ela está perdendo negócio. Deixar de investir em uma outra fatia, pessoas que precisam malhar por recomendação médica, por exemplo, mesmo que seja uma minoria, pode fazer a diferença. E trazer boas surpresas para a companhia.

Em suma, a ideia é que outros públicos, além do habitual, sejam ativados para que sua marca ganhe negócios, e não os percam.  Uma dica que vale sempre aplicar é a análise de dados dos hábitos de compra dos consumidores e cruzá-los com o banco de dados que a marca já tem para ver as possibilidades de mercado a conquistar.

Personalize o atendimento

Antes de mais nada, tenha em mente que o público que para a sua marca é minoria pode crescer. E isso vai depender de como ele for atingido pela mensagem da sua empresa e a forma que essa mensagem chega até ele. Quando a marca entende bem as necessidades das pessoas, sem classificá-las tanto, e abrir os horizontes sem se prender a estereótipos, ganha pontos na imagem e, por consequência, ganha a confiança delas.

Usando o exemplo acima, não é porque x consumidores não estão no perfil comum de frequentadores de academia que eles não vão se interessar pelo seu produto. Eles podem querer usá-lo por conta de outras necessidades. A marca precisa ter empatia.

Assim, entra aí um outro exercício: o atendimento. Ao segmentar bem os dados é possível chegar numa outra fase, a de personalização do atendimento. Planeje as ações para cada fatia de consumidor que a sua marca tem e invista na comunicação com ele. Personalize. Planeje as campanhas, as abordagens em e-mails marketing, tenha redes sociais ativas e, claro, faça pesquisa para se manter atualizado dos desejos dos consumidores e como está a experiência dele com o seu produto. Em suma, a partir daí, sua empresa terá ainda mais dados para evoluir junto com seu produto e seu consumidor.

Dicas

  • Não generalize seu público
  • Classifique menos (não estereotipe)
  • Seja criativo e original nas suas ações
  • Aborde seu público com mais proximidade
  • Seja transparente
  • Faça campanhas inteligentes para conquistar o consumidor

Reclame AQUI pode ajudar a melhorar a coleta de dados

Para ajudar a sua empresa a obter dados e aproveitá-los da melhor maneira para que seu negócio cresça, o Reclame AQUI pode ajudar. É possível ter uma página personalizada, com conteúdos exclusivos da marca para que seu público fique bem informado sobre a companhia. Além disso, consegue comparar dados de acessos com seus concorrentes através do RA Analytics.

Todos os dias, 700 mil pessoas acessam o Reclame AQUI atrás de informações sobre as mais de 200 mil empresas cadastradas no site. Atualmente, existem 18 milhões de consumidores ao mês que usam a plataforma para pesquisar a reputação das marcas, como elas fazem negócio e como conduzem o relacionamento com seu público. E se precisarem, eles registram suas reclamações. São milhares de oportunidades de novos negócios todos os dias.

Conheça mais a Brad Page

Deixe uma resposta