A forma de distribuir conteúdos virou o mercado de cabeça para baixo. Hoje, as empresas precisam se reinventar para acompanhar a transformação digital e, claro, os seus consumidores, que estão em constante evolução. E uma das coisas que mais tem movimentado essa transformação é o mercado de OTT.

A sigla, que significa Over The Top, diz respeito à distribuição de conteúdos pela internet, sem que passe pelo controle de um serviço de telecomunicação. 

Embora OTT esteja relacionado a vídeos online, o termo abrange vários tipos de conteúdo. Uma mensagem enviada pelo WhatsApp, ouvir músicas pelo Spotify ou, até mesmo, fazer uma chamada pelo Skype também são ações que envolvem OTT.

Leia também: Quais métricas ajudam a ter resultados certeiros para a sua marca

Investimento, estratégia e formato

Pense quais são os objetivos que deseja atingir com a estratégia OTT. Investir tempo para planejar esse conteúdo é importante, até mesmo porque é uma forma bem moderna de se aproximar do cliente, e muitas empresas ainda não têm o costume de inovar.

Depois de pensar nos objetivos, pense em qual formato você quer trabalhar. Lembrando que dependendo da sua estratégia, a escolha pode ser mais de um.

Live: é uma transmissão ao vivo pela internet. É um formato que as redes sociais estão trabalhando de forma mais ativa há poucos anos. As lives já são bem populares em redes como o Facebook, Instagram e YouTube.

As lives também podem ser usadas como transmissão de palestras, cursos, webinars, shows e eventos. Além do mais, fazer uma live é uma ótima maneira de gerar interação com o seu público.

VOD (Video On Demand): é o vídeo que é gravado antes de ir ao ar. Neste formato, diferentemente das lives, podem haver edições e regravações de algumas partes para entregar um melhor conteúdo final.

Este é o formato de vídeo mais comum, pois estamos mais habituados a consumi-lo nos filmes, séries e outros vídeos dentro da Netflix e YouTube, por exemplo. E são os espectadores que decidem o que querem assistir e quando querem assistir, sem depender de uma programação fixa.

Áudio: é algo bem atual e que tem captado muitos interesses no mercado de trabalho. O formato mais conhecido é o PodCast, que permite que o consumidor escolha o que e quando quer ouvir o conteúdo. 

Além disso, há possibilidade de fazer download dos programas, possui uma variedade de temas, e um formato diferenciado para entretenimento e aprendizado de qualidade.

Veja também: Por que é importante para sua empresa ter um site seguro?

Deixe uma resposta