Blog Reclame AQUI

blog reclame aqui
Artigos

Reclame AQUI está entre os 1000 sites mais influentes do mundo

Ranking do Alexa, que analisa os sites mais influentes do mundo, considera acessos, número de usuários, além do fluxo de informações publicadas.

Reclame AQUI alcançou uma marca inédita nesta quinta-feira, dia 31 e apareceu na posição 995 entre os sites mais influentes do mundo.

A informação é do Alexa, que considera acessos, números de usuários, além do volume de publicações para classificar o ranking.

Veja: Dicas para sua marca ganhar mais destaque no Reclame AQUI

“Vivemos um momento histórico desde a criação do Reclame AQUI, em 2001, com isso, nos tornamos um termômetro de confiança, e reunimos milhares de histórias construídas por consumidores e empresas”, comentou o CEO Global do Reclame AQUI, Mauricio Vargas.

Todos os dias, 700 mil pessoas acessam o Reclame AQUI atrás de informações sobre mais de 200 mil empresas cadastradas no site.

Leia: Reclame AQUI compra startup de monitoração Trustvox

Atualmente, existem 18 milhões de consumidores que usam a plataforma para pesquisar a reputação das marcas e registrarem suas reclamações.

“Vale lembrar que chegamos nesse patamar sem fazer uma publicidade sequer. Ficamos à frente dos maiores players do e-commerce brasileiro, dos portais de bancos, grandes portais de notícias e todas as plataformas brasileiras de serviços públicos”, destaca Vargas.

Sobre o Reclame AQUI,:

O site de reclamação e pesquisa, que ganhou vida em 2001 por Maurício Vargas, atualmente é o maior referencial quando o assunto é reputação e confiança.

O canal vai além da postagem de uma queixa, hoje, milhares de consumidores contam suas histórias todos dias dias, e as companhias têm a chance de dar um final feliz para esses contos.

Para se tornar a empresa que é hoje, o Reclame AQUI criou seus 10 mandamentos e, com isso, seu ambiente interno leva muito a sério a cultura apresentando pelo CEO Global, Maurício Vargas.

Veja: Os 10 mandamentos do Reclame AQUI.

Fonte: Reclame AQUI Notícias

Deixe uma resposta