Blog Reclame AQUI

blog reclame aqui
Produtos RA

O potencial da semana do consumidor para o e-commerce

A semana do consumidor no e-commerce é uma das datas mais esperadas do ano. Tem gente que até considera o período como uma espécie de Black Friday brasileira. Afinal de […]

A semana do consumidor no e-commerce é uma das datas mais esperadas do ano. Tem gente que até considera o período como uma espécie de Black Friday brasileira. Afinal de contas, são sete dias com muitas ofertas em comemoração à maior razão de existir de qualquer negócio: o cliente.

Então, que tal aproveitar a oportunidade para presentear o consumidor e, em contrapartida, lucrar mais com o aumento no volume de vendas? Mas olha: para garantir resultados positivos, é importante organizar o comércio eletrônico e garantir uma boa experiência do usuário, viu?

A seguir, vamos explicar melhor como funciona a data e o que fazer para aumentar o faturamento no período. Confira!

Quando é a semana do consumidor?

Na semana que cai o dia do consumidor, que é em 15 de março. A data começou a ser comemorada em 1962, quando o ex-presidente americano John Kennedy fez um discurso sobre a importância de defender os direitos do consumidor.

No entanto, foi só em 1983 que a data passou a ser celebrada oficialmente. Já em 1985, a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu a data como o dia mundial do consumidor.

No Brasil, o tema ganhou relevância entre os anos 80 e 90, quando foi sancionado o Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90). O objetivo do dispositivo é estabelecer normas para as relações de consumo, de modo a garantir qualidade, saúde, segurança e transparência em todo o processo.

Qual é a importância da semana do consumidor no e-commerce?

Como você pôde perceber, a data não foi criada pelo comércio para movimentar a economia e alavancar as vendas. Apesar de o dia ter sido instituído lá em 1985, foi só em 2014 que o varejo brasileiro enxergou uma oportunidade para faturar mais.

A data cai justamente em um período em que havia uma ligeira queda nas vendas: no primeiro trimestre do ano. Então, por aqui, o comércio comemora a data na quarta-feira mais próxima ao dia 15 de março. É o dia do consumidor oficial para o comércio. Mas a verdade é que a semana toda é marcada por comemorações.

A data deu tão certo que já chegou a ultrapassar o faturamento da Black Friday. Em 2021, por exemplo, a sexta-feira negra movimentou R$ 5,41 bilhões. Já na semana do consumidor, o e-commerce faturou R$ 6,3 bilhões. O número representa um aumento de 85% se comparado ao mesmo período do ano anterior. O dado mostra que o período já se consolidou como um dos mais importantes para o comércio.

Como aproveitar o período para aumentar as vendas?

Apesar de a semana do consumidor trazer diversas oportunidades de negócios, não basta manter o e-commerce no ar e deixar a magia acontecer. Para conseguir alavancar as vendas, é necessário estratégias coordenadas. Veja algumas dicas para preparar a loja virtual para o período!

Cumpra o Código de Defesa do Consumidor

Essa dica pode até parecer boba porque o respeito deve acontecer durante o ano todo, não é mesmo? No entanto, nessa data em especial, o cliente deve ser colocado no centro da estratégia.

Afinal de contas, o dia do consumidor é mais que uma data para vender mais. Inicialmente, o período foi pensado para conscientizar sobre os direitos e deveres nas relações de consumo. Aliás, também tem a Lei do E-commerce que regulamenta as vendas online. Então, é importante observar alguns pontos. Olha só quais são eles!

Deixe informações claras sobre a loja e os produtos

Formas de pagamento, prazo de entrega, valor do frete, políticas de trocas e devoluções, descrições de produtos, meios de contato com a empresa, CNPJ, endereço e por aí vai. Todos esses dados precisam estar visíveis ao cliente para ele ter conhecimento sobre os produtos e o próprio e-commerce.

Disponibilize o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC)

Em caso de dúvidas ou falhas na compra, o consumidor precisa de suporte imediato. Sendo assim, é essencial pensar em vários canais de atendimento ao cliente, como FAQs, chatbots, e-mail, telefone, redes sociais, entre outros.

Respeite o direito de arrependimento

Nas compras online, o consumidor tem o direito de se arrepender e devolver o produto no prazo máximo de sete dias após o recebimento da encomenda. Logo, é necessário preparar uma estrutura financeira e de logística reversa para restituir o valor pago e receber o produto de volta.

Tenha atenção com a LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) serve para garantir a proteção das informações dos consumidores. E olha: é dever do e-commerce garantir essa privacidade e comunicar ao consumidor como as informações inseridas na página serão usadas. Mais: tudo precisa de autorização expressa do cliente.

Planeje a data com antecedência

Planejar significa pensar lá na frente e estabelecer um plano de ações para atingir o objetivo esperado. Se você pular essa etapa, pode perder vendas por falta de estoque e ferir a reputação da empresa por causa de um suporte inadequado. Sendo assim, prepare-se com antecedência para a data. Acompanhe algumas etapas fundamentais para esse planejamento.

Faça uma análise histórica de vendas

Estudar os dados de vendas do mesmo período de anos anteriores é importante para identificar quais são os itens que, geralmente, são mais vendidos na época, se a infraestrutura tecnológica do site para acessos simultâneos foi suficiente para suprir o aumento da demanda, se houve atrasos nas entregas e por aí vai.

Com base nessas informações, você consegue implementar melhorias nos processos e ter insights para estratégias inovadoras.

Prepare o estoque

O varejo reforça o estoque nessa época do ano para não perder vendas. Se você deixar para comprar tudo de última hora, o fornecedor pode não ter os itens que você necessita em estoque.

Então, compre tudo com antecedência e faça um dimensionamento correto de estoque, para não faltar, nem sobrar. Vale até pensar em estratégias de crossdocking e dropshipping para atender a demanda do consumidor.

Defina metas de vendas

Qual é o percentual de crescimento em vendas que você pretende alcançar nesse período? Definir, com clareza, o seu alvo é importante para pensar em estratégias que ajudarão a empresa a chegar lá.

No entanto, é legal manter o pé no chão, combinado? Uma boa dica é estabelecer metas com base no critério SMART — metas específicas, mensuráveis, atingíveis, realistas e temporais.

Elabore as melhores estratégias de marketing na senana do consumidor

Investir em marketing digital é necessário para gerar valor para o e-commerce e os produtos à venda nele. Afinal de contas, é por meio dessas táticas que você consegue aumentar a visibilidade do negócio e atrair tráfego para loja virtual. Nesse contexto, vale a pena pensar em:

Garanta entregas rápidas

Atire a primeira pedra quem nunca fez uma compra na internet e passou a fazer plantão na porta de casa para receber o produto que tanto queria. Pois bem, entregas cada vez mais rápidas são tendência para o e-commerce nos próximos anos. Isso porque o prazo de entrega longo demais está entre os fatores que fazem o consumidor abandonar o carrinho.

Uma boa solução para essa questão é instalar centros de distribuição em regiões estratégicas. Assim, é possível agilizar as entregas. As tecnologias de logística também são importantes porque garantem a otimização de rotas e a integração com a loja online para fornecer o código de rastreamento para o cliente. Daí, ele pode controlar a ansiedade ao acompanhar a entrega passo a passo.

Ofereça descontos de verdade

O consumidor é muito sensível aos preços. De acordo com uma pesquisa sobre a fidelidade no e-commerce feita pelo Reclame AQUI, 51,1% dos usuários já trocaram de loja para comprar o produto mais barato em outro lugar. E como a semana do consumidor é marcada por promoções, o cliente espera descontos de verdade, sabe?

Veja bem: não estamos sugerindo que você entre em uma guerra de preços com a concorrência, viu? No longo prazo, isso é insustentável e pode render prejuízos para o seu e-commerce. O ideal é dar descontos especiais em épocas em que o volume de vendas aumenta bastante, para lucrar com o volume. É claro que tudo precisa ser bem-planejado e calculado para não prejudicar a saúde financeira do e-commerce.

Prepare seus colaboradores para semana do consumidor

Com o aumento das vendas, é possível que os profissionais de atendimento, controle de estoque, embaladores, auxiliares de expedição, assistentes de logística, entre outros, fiquem sobrecarregados.

O resultado disso você já deve imaginar: erros, atrasos e insatisfação dos clientes. Então, é importante avaliar se será necessário contratar funcionários temporários para dar conta do recado.

Mais: lembre-se de oferecer treinamentos e atualizações para todos os colaboradores, até mesmo para os mais experientes. As qualificações são necessárias para reforçar os valores da empresa e garantir um alto padrão nos serviços. Nesse contexto, a equipe de atendimento merece atenção especial porque é responsável pelo contato direto com o consumidor.

Aposte em táticas para aumentar o ticket médio

O e-commerce não precisa, necessariamente, aumentar o volume de vendas para ter um maior faturamento. Táticas para aumentar o ticket médio são bem interessantes para fazer o consumidor gastar mais na loja online.

Ao oferecer frete grátis para compras acima de determinado valor, por exemplo, você incentiva o consumidor a gastar, pelo menos, essa quantia para aproveitar o benefício. A mesma lógica vale para brindes, descontos progressivos, entre outras estratégias.

Outra dica legal é usar técnicas de upsell e cross sell. Tem gente que confunde os conceitos com venda casada, mas não tem nada a ver. Entenda: o upsell é uma espécie de upgrade. Sabe quando você vai em um restaurante fast food e o vendedor oferece uma batata maior por um acréscimo no valor? Pois bem, isso é upsell.

No e-commerce, a estratégia é válida para incentivar o consumidor a comprar embalagens maiores ou serviços mais completos, sabe? Em vez de levar um sabão em pó de 800g, por exemplo, você pode destacar a opção de 5,6kg porque tem um melhor custo-benefício. Assim, a loja vende mais e o consumidor leva para casa uma mercadoria mais em conta.

Já o cross sell é a venda cruzada, isto é, a compra de um produto complementar ao já adicionado no carrinho. Quem compra sabão em pó, por exemplo, pode ter interesse em amaciante de roupas; ou uma escrivaninha pode precisar de uma cadeira de escritório; quem adquire uma TV pode se interessar por um painel novo e por aí vai. Ou seja, a nova compra pode complementar a experiência de consumo.

Tenha reviews e avaliações no e-commerce

Sabe aquele espaço que o consumidor tem no e-commerce para publicar suas opiniões a respeito do produto adquirido ou sobre a experiência que teve com a loja virtual? Pois bem, esse é o Customer Review. Muito mais que um campo para comentários, essa é uma estratégia de vendas que contribui para:

  • melhorar o ranqueamento da página nos motores de busca;
  • aumentar o tráfego da loja virtual;
  • elevar o tempo de permanência na e-commerce;
  • atrair mais consumidores;
  • garantir maior credibilidade para o e-commerce;
  • ajudar na coleta de dados para identificar falhas e implementar melhorias;
  • reduzir o número de trocas e devoluções;
  • desafogar os canais de atendimento;
  • aumentar a taxa de conversão.

E olha que existem dados para comprovar isso, viu? Veja só algumas informações relevantes:

  • produtos com reviews podem vender 270% mais se comparado aos itens sem avaliações (Spiegel Research Center);
  • 90,2% dos consumidores leem avaliações e depoimentos antes de fazer o checkout (Reclame AQUI);
  • 91,7% dos clientes afirmam que a experiência de outros consumidores — positivas ou negativas — impactam na decisão de compra (Reclame AQUI);
  • o aumento de 0,1 ponto na reputação de uma empresa pode representar 25% mais conversões (Revenue Hub);
  • a nota mágica que gera picos de conversão é de 4,9 estrelas (Revenue Hub);
  • empresas apenas com nota máxima sofrem uma baixa nas conversões (Revenue Hub).

Esse último dado evidencia que não basta ter avaliações no e-commerce, os reviews precisam ser verdadeiros para garantir credibilidade. Afinal de contas, vamos combinar que é difícil uma empresa agradar 100% do público e conquistar 5 estrelas, não é mesmo?

Opiniões negativas não são ruins porque fornecem dados importantes para melhorar a experiência do cliente. É por isso que a plataforma de reviews precisa captar e compartilhar avaliações de consumidores reais. É aí que entra a RA Trustvox.

A plataforma é independente e atua na coleta, auditoria e publicação de reviews verdadeiros, verificados e validados. Isto é, apenas consumidores que, de fato, compraram o produto naquela loja podem publicar suas opiniões. Nem mesmo o lojista consegue editar comentários e apagar reviews negativos — a não ser que eles sejam ofensivos. Isso garante que todas as avaliações sejam confiáveis, entende?

Para aproveitar a semana do consumidor no e-commerce e lucrar mais, é necessário planejar muito bem a data. Nesse contexto, é importante elaborar estratégias eficientes para atrair consumidores e garantir boas experiências. O Customer Review tem papel fundamental nesse momento porque é uma estratégia de vendas que contribui para aumento das conversões.

Gostou da ideia e quer conhecer melhor a RA Trustvox? Então, entre em contato com a gente e aproveite todo o poder dos reviews para vender mais!

Deixe uma resposta