blog reclame aqui

Impacto das redes sociais no e-commerce

Você sabe qual é a importância das redes sociais para o e-commerce? Veja bem: como os consumidores são viciados nas plataformas digitais, usar as ferramentas é uma ótima oportunidade para se comunicar com os consumidores de maneira mais próxima, gerar engajamento, potencializar a estratégia de marca e alavancar as vendas.

Afinal de contas, o celular já virou uma espécie de extensão no nosso corpo, não é mesmo? Vira e mexe estamos com o aparelho na mão para checar a hora — aliás, essa é a desculpa preferida —, fazer compras, verificar e-mails, enviar mensagens, acompanhar muitos conteúdos em plataformas digitais e por aí vai. Ao todo, são 91 horas on-line por semana. E boa parte desse tempo é gasto nas redes sociais.

Pensando nisso, resolvemos escrever um artigo para nos aprofundar no assunto. A seguir, vamos falar mais sobre o impacto das redes sociais no e-commerce. Confira!

Redes sociais: o que são, como vivem e do que se alimentam?

Em primeiro lugar, as redes sociais são plataformas online — sites e aplicativos — usadas para conectar pessoas com interesses em comum. Isto é, por meio delas, os usuários podem manter contato com amigos, familiares, colegas de trabalho e pessoas que curtem a mesma coisa que eles. De modo geral, as redes sociais são compostas pelos seguintes elementos:

  • perfil: é a página pessoal do usuário com foto e informações básicas;
  • amigos ou seguidores: é aqui que a teia se forma de verdade com conexões entre amigos, familiares e outras pessoas com interesse em comum;
  • feed: essa é uma espécie de página inicial com as principais atualizações de contas que o usuário acompanha;
  • interações: os usuários podem engajar com as publicações com curtidas, comentários ou compartilhamentos;
  • hashtags (#): são tópicos clicáveis para identificar conteúdos de tópicos específicos.

Mas olha: apesar das semelhanças, cada rede social tem suas especificidades, viu? Afinal de contas, algumas são focadas em textos, enquanto outras são usadas para publicar vídeos. Entre as principais ferramentas de interações sociais, temos:

Qual é a importância das redes sociais para o e-commerce?

A lógica é bem simples: se é lá que os seus consumidores estão, o e-commerce também precisa marcar presença para se manter relevante.

Só para você ter uma ideia da relevância das redes, a NordVNP fez uma pesquisa bem interessante sobre o comportamento do brasileiro on-line. Os dados do levantamento são bem curiosos. Olha só:

  • o brasileiro passa cerca de 91 horas on-line por semana;
  • desse total, 19 horas são usadas para o trabalho e 72 horas para entretenimento;
  • juntos, Netflix e GloboPlay são responsáveis por 13 horas semanais de navegação;
  • 12h08 são usadas para assistir vídeos no YouTube;
  • 11h19 são dedicadas a navegar pelas redes sociais;
  • se somar todo o tempo on-line, dá quase 4 dias por semana, 197 dias por ano e mais de 41 anos ao longo de toda a vida — se considerar uma expectativa de vida de 75,9 anos. Em outras palavras, cerca de 54% do tempo de vida é gasto na internet.

Com tanto tempo nas redes, é claro que o e-commerce pode aproveitar a oportunidade para se comunicar com os consumidores. Mas para você entender melhor a importância das plataformas para o comércio eletrônico, resolvemos listar alguns benefícios. Olha só!

Acompanhar as mudanças no comportamento do consumidor

Pensa bem: antigamente, a comunicação com as marcas era bem mais unilateral. Isto é, as empresas faziam propagandas — na TV, rádio, jornais, revistas e outdoors — e o cliente apenas ouvia.

A internet deu voz aos consumidores. Agora, ele não quer mais ouvir o que as marcas têm a dizer. Ele quer interagir com as empresas e se comunicar com os negócios de igual para igual. As redes sociais proporcionam isso.

Tem mais: é possível entender melhor o que agrada seu público e identificar tendências de consumo. Então, marcar presença nas redes também é uma boa forma de acompanhar as principais mudanças no comportamento do consumidor.

Por falar em mudanças, você sabia que tem uma rede social aí que está incomodando o Google? Saiba mais: TikTok — a concorrência entre o aplicativo que virou fenômeno.

Dar visibilidade ao negócio

De acordo com o relatório Digital 2022 — realizado pela We Are Social em parceria com a Hootsuite — o Brasil tem cerca de 171,5 milhões de usuários ativos nas redes sociais. Isso dá cerca de 79,9% da população brasileira.

Então, não tem para onde correr. Para conseguir impactar o seu público e ganhar relevância no mercado, é necessário marcar presença nas redes sociais.

Garantir uma audiência segmentada

Conforme já citamos por aqui, as redes sociais servem para conectar pessoas com interesses em comum. Portanto, de modo geral, os consumidores que acompanham a sua marca nas plataformas têm algum interesse nos seus produtos ou serviços. Ter essa audiência segmentada é legal porque aumenta a taxa de sucesso das estratégias.

Engajar consumidores

As redes sociais são ambientes de relacionamento. Nesse contexto, entre as premissas básicas das redes estão a criação de conexões e interações — isso vale tanto para o contato com pessoas quanto com marcas.

Sendo assim, ao criar conteúdos para as redes, é possível envolver os consumidores. Com isso, é possível conquistar de forma orgânica curtidas, comentários e compartilhamentos, menções à marca e por aí vai.

Tudo isso é legal para criar promotores da marca e alcançar ainda mais pessoas na internet.

Vale a leitura: Marketing de engajamento na era pós-pandemia.

Gerar leads

Em primeiro lugar, o lead é um cliente em potencial que demonstrou interesse em seus produtos e serviços. Se o consumidor fornece o e-mail para receber ofertas em primeira mão, por exemplo, significa que ele se transformou em um lead.

E as redes sociais são boas mídias para geração de leads. Afinal de contas, é possível criar diversas iscas e divulgar no perfil da empresa nas plataformas para atrair consumidores em potencial.

Veja também: Como fazer nutrição de leads para e-commerce.

Aumentar o tráfego do e-commerce

O tráfego está entre os KPIs mais importantes para o comércio eletrônico porque mostra a quantidade de visitantes que o site recebe. E como postagens estratégias nas redes sociais é possível direcionar tráfego para o e-commerce e aumentar as chances de conversões.

Otimiza o SEO do comércio eletrônico

Só para esclarecer, as técnicas de SEO são responsáveis por tornar uma página mais atrativa aos olhos dos usuários e dos buscadores da internet. Nesse contexto, entra uma série de boas práticas para melhorar o posicionamento da página nos resultados de busca orgânica do Google.

As redes sociais contribuem para melhorar alguns fatores de ranqueamento. Os links que direcionam os usuários para o e-commerce, por exemplo, geram autoridade para a página. As menções à marca também são legais nesse sentido.

Dica esperta: Saiba como aparecer em primeiro lugar na busca orgânica do Google.

Melhora a reputação da empresa

Conforme já falamos por aqui, o acesso à informação mudou o comportamento do consumidor. Agora, antes de tomar uma decisão de compra, ele faz diversas pesquisas pela internet para avaliar se a empresa, de fato, existe e oferece produtos ou serviços de qualidade.

E as redes sociais têm um grande peso nesse contexto. De acordo com a Pesquisa Social Commerce 2.0 — feita pela Opinion Box em parceria com a All In — cerca de 41% dos consumidores preferem comprar nas redes sociais porque é possível ter acesso a avaliações de outros clientes.

Ainda conforme dados do levantamento, os canais mais utilizados para compartilhar avaliação são:

  • nos comentários nos sites das lojas/marcas (61%);
  • em sites de avaliação como o Reclame AQUI (33%);
  • nas redes sociais das marcas (29%);
  • nas próprias redes sociais, marcando a empresa (23%).

Moral da história: as informações disponibilizadas nas redes sociais das marcas influenciam as decisões de consumo.

Gerar mais vendas

Você lembra da pesquisa Digital 2022 que citamos lá em cima? Pois bem, ela revela que as redes sociais são excelentes canais de vendas. De acordo com o levantamento, entre os principais motivos para usar a plataforma estão:

  • manter contato com amigos e familiares (65%);
  • ler notícias (57%);
  • procurar produtos para comprar (46,7%);
  • procurar conteúdos (45,7%);
  • procurar coisas para fazer ou comprar (44,5%);
  • passar tempo (43,4%)
  • acompanhar os assuntos do momento (37,9%).

Como você pode perceber, quase metade dos usuários das redes sociais tem intenção de compra ao usar as plataformas. Marcar presença por lá, portanto, é uma forma de despertar interesse e alavancar as vendas.

Viu só como as redes sociais são importantes para o e-commerce? Pois bem, o social commerce está entre as tendências de marketing digital para vender mais. Então, vale a pena investir na estratégia para melhorar os resultados do comércio eletrônico. Aliás, é sobre isso que vamos falar no próximo tópico.

Como usar as redes sociais para alavancar o seu negócio?

De antemão, já vamos avisar que não basta criar contas em todas as plataformas e esperar a magia acontecer, viu? Na verdade, é necessário planejar e agir de forma estratégica. Vamos dar algumas dicas nesse sentido a seguir. Olha só!

Estude o comportamento do seu público

Qual é a faixa etária do seu consumidor? A maioria dos seus clientes são homens ou mulheres? E sobre poder aquisitivo: você sabe qual é renda média do seu público? Pois bem, responder essas e outras perguntas é o primeiro passo.

Afinal de contas, é nesse momento que você reunirá informações de comportamento do consumidor para direcionar as estratégias. Sendo assim, não pule essa etapa, combinado?

Escolha as redes sociais de maneira estratégica

Existem diversas redes sociais disponíveis por aí. No entanto, a sua marca não precisa marcar presença em todas elas. O ideal mesmo é usar aquele estudo de comportamento para identificar a plataforma que o seu perfil de público mais usa. Assim, você investe apenas nas ferramentas que podem apresentar retorno, entende?

Mantenha o perfil completo

Nome, foto, descrição da empresa, link para o e-commerce, informações de contato e por aí vai. Na hora de criar contas nas redes sociais, é necessário incluir esses dados nos perfis. Além de dar uma cara mais profissional para o negócio, esse cuidado é importante para o branding.

Publique conteúdos úteis periodicamente

Nada de transformar o seu feed em um folheto de supermercado com fotos e preços dos produtos, viu? A gente sabe que, de modo geral, as lojas querem usar as redes para vender. No entanto, as publicações não precisam ser tão literais.

Nossa recomendação é usar os princípios do storytelling para humanizar a marca, gerar identificação com o cliente e engajar. Nesse contexto, vale mostrar imagens de bastidores, montar cases de sucesso, fazer parcerias com influencers e por aí vai.

Mais: é necessário montar um calendário de publicações para manter o perfil sempre atualizado. Além disso, é fundamental interagir com os consumidores nos comentários e mensagens privadas para manter o engajamento.

Valorize o conteúdo gerado pelo usuário

Sabe quando o consumidor posta uma foto com o look da balada e menciona as marcas usadas na publicação? Pois bem, esse é um conteúdo gerado pelo usuário — ou User Generated Content (UGC), em inglês.

Aproveitar esse tipo de conteúdo é legal porque eles são gratuitos e são ótimos para gerar engajamento. Sendo assim, vale incentivar os consumidores a postarem conteúdos com marcações da empresa.

Aliás, menções negativas também merecem atenção, viu? Quando o consumidor está insatisfeito, ele pode fazer postagens nos perfis pessoais para detonar as marcas. Nesse contexto, é importante interagir com o usuário e buscar soluções para os problemas.

Saiba mais: 5 razões para usar a estratégia de UGC na sua loja virtual.

Quais são as principais tendências de redes sociais para e-commerce?

Se você chegou até aqui, já percebeu que estar nas redes sociais não é apenas um diferencial competitivo. Na verdade, como os clientes ficam vidrados nas redes, marcar presença por lá é fundamental para fortalecer a marca, atrair mais consumidores e, claro, converter vendas.

De toda forma, é legal ficar de olho nas tendências para adaptar as estratégias e manter o seu negócio relevante, sabe? Afinal de contas, vira e mexe uma nova rede social surge e o comportamento do consumidor muda. Veja só as principais tendências do ano:

Por fim: as redes sociais são ferramentas valiosas para alavancar o e-commerce. Pensa bem: só no Brasil, são mais de 171 milhões de usuários que ficam 11h19 horas por semana navegando pelas redes. Sendo assim, usar as plataformas digitais é importante para aumentar a visibilidade da marca e vender mais. Gostou do nosso artigo e quer ver mais algumas dicas? Então, confira também como identificar perfis falsos para fazer compras seguras nas redes sociais.

Deixe uma resposta

%d