blog reclame aqui

Mídia paga: como medir e otimizar suas campanhas

As campanhas de mídia paga são essenciais para alcançar o público-alvo de maneira eficaz e converter vendas. No entanto, o que muita gente não sabe é que a estratégia vai muito além da definição de objetivos e orçamento. O fato é que, para ter resultados positivos, é importante medir e otimizar as campanhas de mídia paga.

Afinal de contas, uma abordagem mais estratégica pode aumentar o retorno da campanha, além de aumentar a visibilidade da marca, gerar mais leads e, claro, elevar o número de vendas. Para conseguir isso, é necessário tomar uma série de cuidados.

Você quer saber quais são eles para impulsionar as suas campanhas de mídia paga? Pois bem, neste artigo vamos dar algumas dicas valiosas que vão muito além do básico. Olha só!

Imagem de apoio 1 mídia paga

Por que otimizar campanhas de mídia paga?

Uma coisa a gente não pode negar: investir em mídia paga é fundamental para garantir melhores resultados em marketing. Pensa bem: ao pagar por espaços publicitários, é possível alcançar uma audiência bem segmentada e conseguir resultados mais rápidos.

Por outro lado, não basta veicular anúncios de forma desordenada. Além de gerar um desperdício de recursos, a falta de estratégia pode reduzir a eficiência das ações. É por isso que otimizar as campanhas de mídia paga precisa fazer parte da sua rotina.

De maneira resumida, existem diversas vantagens de aperfeiçoar a sua estratégia de maneira sistemática. Por exemplo:

  • melhor aproveitamento dos recursos: a otimização garante que você faça investimentos mais certeiros, o que aumenta a probabilidade de sucesso;
  • alcance do público-alvo certo: a análise gera insights importantes para fazer ajustes e direcionar as campanhas para o público mais alinhado aos objetivos da campanha;
  • maior competitividade no mercado: assim como você viu potencial na mídia paga, outras milhares de empresas do mesmo segmento também viram. Então, otimizar as campanhas é fundamental para se manter competitivo e destacar o seu negócio perante a concorrência;
  • melhoria contínua: a análise e otimização constante é fundamental para aprimorar a estratégia como um todo, de modo a torná-las cada vez mais eficazes;
  • aumento das conversões: é claro que todas as ações em busca de melhoria contribuem para gerar ainda mais conversões.
Imagem de apoio 2 mídia paga

Como alcançar melhores resultados com mídia paga?

Em primeiro lugar, planejar, definir objetivos e delimitar o orçamento são passos básicos para a estratégia de mídia paga. Mesmo assim, para ter resultados ainda mais satisfatórios, é necessário ir além. A seguir, vamos dar algumas dicas para otimizar as campanhas de mídia paga e obter melhores resultados. Confira!

Entenda o comportamento do seu consumidor on-line

Para conseguir criar uma campanha coesa, é necessário mapear a jornada de compra do consumidor e criar ações adequadas para cada etapa. Afinal de contas, os conteúdos para topo do funil, por exemplo, são diferentes daqueles que atraem os leads que estão mais próximos da compra.

Sendo assim, comece pelo estudo de comportamento do consumidor para identificar desejos e necessidades. Com base nessas informações, será possível identificar temas e tom de voz adequados aos seus objetivos.

Saiba mais: Você conhece as principais mudanças no comportamento do consumidor?

Escolha os canais de maneira estratégica

Qualquer estratégia de marketing que envolve a compra de espaços publicitários para a veiculação de campanhas faz parte do rol de investimentos em mídia paga. Outdoor, anúncios em revistas, espaços na TV e até parcerias com influenciadores digitais, por exemplo, entram nesse pacote.

No entanto, o potencial de alcance muda drasticamente de acordo com o canal escolhido. É por isso que é necessário fazer a escolha de forma estratégica. Nesse contexto, o ideal é investir em publicidade digitais porque são mais versáteis e permitem uma segmentação mais precisa. Por exemplo:

  • Google Ads: anúncios exibidos nos resultados de busca do Google, na rede de displays, no Google Shopping e YouTube;
  • Ads Manager: plataforma responsável pela mídia paga no Facebook, Messenger, Instagram e Audience Network;
  • LinkedIn Ads: ferramenta para campanhas de conteúdo patrocinado na rede, mensagem patrocinada, anúncio de texto e anúncio dinâmico;
  • TikTok Ads: plataforma para anúncios no TikTok em diversos formatos. Por exemplo: top view, in-feed ads, branded hashtag challenge, branded takeovers e branded effects;
  • RA Ads: ferramenta para impactar os usuários durante a formação de opinião sobre as marcas, isto é, durante as pesquisas no Reclame AQUI.
Imagem 3 de apoio mídia paga

Apesar da variedade de opções, é bom que você saiba que não precisa escolher apenas um canal. Na verdade, você pode investir em várias frentes para otimizar as campanhas e aumentar as chances de sucesso.

De toda forma, vale lembrar de que o ideal é usar aquele estudo de comportamento do cliente para identificar as plataformas mais usadas pelo seu perfil de consumidor. Assim, é possível fazer investimentos mais certeiros.

Invista em testes A/B

O teste A/B é uma técnica utilizada para comparar duas versões de um elemento em uma campanha de mídia paga. Nesse pacote, entram anúncios, páginas de destino, títulos ou chamadas para ação e por aí vai.

Funciona mais ou menos assim: imagine uma campanha de conversão de leads com landing page. Em uma das versões você coloca o CTA “Baixe Grátis”, por exemplo, e em outra os dizeres “Baixar agora”. Com uso de ferramentas especializadas, é possível enviar os dois anúncios para grupos diferentes e, a partir daí, identificar qual alternativa apresenta melhores resultados. Dessa forma, é possível otimizar a campanha de mídia paga.

Além disso, os testes geram dados importantes para entender melhor as preferências e comportamento do seu público-alvo. Logo, você consegue criar ações cada vez mais certeiras, aumentando a probabilidade de engajamento e conversão.

Faça pesquisas de palavras-chave

Se você está executando campanhas de anúncios de pesquisa, a otimização de palavras-chave é essencial. Afinal de contas, é por meio da inserção desses termos no campo de pesquisa que o usuário chegará ao seu conteúdo.

Sendo assim, realize pesquisas de palavras-chave relevantes para o seu negócio e ajuste suas campanhas com base nesses insights. Nesse contexto, ainda vale otimizar os lances e a relevância das palavras-chave para melhorar a posição do anúncio e aumentar a taxa de cliques.

Campanhas em outros canais não precisam, necessariamente, do cadastramento de uma palavra-chave. De toda forma, a inserção de termos relevantes no texto pode facilitar a identificação do público e elevar as conversões.

Veja também: 5 dicas de marketing digital para criar conteúdos que convertem.

Refine a segmentação

Uma das maiores vantagens dos anúncios patrocinados — se comparado a mídia orgânica — é a possibilidade de atingir uma audiência bem específica. Mas isso só é possível com uma segmentação adequada. Então, nossa recomendação é pegar aquela pesquisa sobre o comportamento do usuário para identificar seu perfil de público.

Assim, dá para refinar os critérios de segmentação com base em dados demográficos, interesses, comportamentos, localização geográfica, entre outros fatores. Quanto mais precisa for a segmentação, maiores serão as chances de o seu anúncio atingir as pessoas certas.

Use ferramentas de automação

As ferramentas de automação possibilitam colocar as campanhas de mídia paga para rodar no piloto automático. Na prática, isso significa que você não precisará se preocupar com o processo de compra, gerenciamento e otimização de campanhas on-line. Um software de automação faz tudo isso de forma automatizada.

O recurso é bem interessante para aumentar a eficiência dos anúncios, aproveitar oportunidades em tempo real e fazer o aperfeiçoamento de forma contínua.

Lembre-se do remarketing

Só para esclarecer, o remarketing é uma estratégia para impactar o usuário que já demonstrou interesse nos seus produtos. Sabe quando você namora um item no e-commerce e, quando sai da página, volta a ver os mesmos produtos em anúncios em outras plataformas? Pois bem, isso é remarketing.

Quando a estratégia é aplicada à mídia paga, chamamos de retargeting. De toda forma, o uso do recurso é bem interessante para otimizar as campanhas porque atinge um público mais propenso a fechar a compra.

Monitore os resultados e faça ajustes

Nada de configurar uma campanha e deixá-la rodando sem acompanhamento. Mesmo com estratégias de otimização automatizada, é essencial ficar de olho nos resultados para fazer ajustes eventuais.

Vamos supor que você executou uma campanha Google Ads com o objetivo de aumentar as vendas de um produto específico. O problema é que, durante a análise do desempenho, você percebe que a taxa de cliques está bem abaixo do esperado.

Isso pode indicar que os anúncios não estão atraindo a atenção do público-alvo, concorda? Nesse caso, um ajuste na campanha pode ser feito para melhorar o desempenho. Dá para deixar o texto mais chamativo, mudar o CTA, otimizar as palavras-chave, refinar a segmentação e por aí vai.

Vale a leitura: Conheça as principais técnicas para analisar dados de um e-commerce.

Imagem de apoio texto mídia paga

Quais são as principais métricas de mídia paga?

Se você chegou até aqui, já percebeu que acompanhar os resultados de perto é fundamental para identificar falhas nas campanhas e fazer ajustes para otimizar os resultados, não é mesmo?

Pois bem, nesse contexto, é fundamental ficar de olho nas métricas, pois fornecem insights sobre performance e nível de envolvimento dos usuários. A seguir, vamos listar quais são as métricas de mídia paga que valem a pena monitorar de perto. Olha só!

Impressões

A impressão nada mais é que uma exibição do anúncio. Em outras palavras, a métrica representa o número de vezes que o anúncio apareceu na tela do usuário.

Acompanhar a métrica é importante para certificar-se de que a plataforma de mídia paga, de fato, está entregando seus conteúdos. Além do mais, o número de impressões também auxilia a avaliar a visibilidade e o alcance da campanha.

De toda forma, vale lembrar que essa métrica sozinha não diz nada. Afinal de contas, não adianta entregar o anúncio para milhões de usuários e a ação não apresentar resultado algum para o negócio, não é mesmo? Sendo assim, é importante analisar a métrica em conjunto com outros indicadores.

Click Through Rate (CTR)

Também conhecida como taxa de cliques, a CTR mede a proporção de cliques em relação às impressões dos anúncios. Conforme já falamos por aqui, essa métrica ajuda a entender o quão atrativos os anúncios são para a audiência.

Então, quanto maior for o número, melhores serão os resultados. Aliás, acompanhar a métrica costuma ser bem fácil. Afinal de contas, de modo geral, as próprias plataformas de anúncios — como Google Ads e Facebook — oferecem esse número.

Taxa de Rejeição

A taxa de rejeição indica a proporção de visitantes que abandonam o seu site sem interagir com outras páginas. Isto é, o usuário clica no anúncio, mas sai rapidinho por diversos motivos. A navegabilidade do site pode ser ruim, a velocidade de carregamento lenta, o preço diferente do anunciado, entre diversas outras razões.

De toda forma, uma taxa de rejeição alta pode indicar que seus anúncios não estão alinhados com a experiência do usuário ou que a página de destino não é relevante o suficiente. Então, vale a pena ficar de olho na métrica para identificar possíveis problemas e colocar a sua campanha nos trilhos.

Taxa de Conversão

A taxa de conversão mede a proporção de visitantes que realizam a ação desejada, como uma compra, preenchimento de formulário, assinatura de newsletter, entre outras.

Ferramentas como o Google Analytics permitem rastrear as conversões e calcular a taxa de conversão para avaliar o desempenho das campanhas.

Custo por Clique (CPC)

O CPC representa o valor médio que você paga por cada clique em seus anúncios. Essa métrica é importante para gerenciar seu orçamento e avaliar a eficiência dos seus investimentos. Aliás, assim como as outras métricas, as plataformas de anúncios costumam fornecer essa informação.

Retorno sobre o Investimento (ROI)

O ROI é uma métrica que mede a eficácia e a rentabilidade de um investimento, incluindo campanhas de mídia paga. Afinal de contas, ele indica o lucro obtido em relação ao valor investido.

Para calcular o ROI, você precisa conhecer duas informações principais: o ganho obtido com o investimento e o custo do investimento. Nesse contexto, vale esclarecer que os custos com o investimento não englobam apenas o valor pago à plataforma de mídia paga. O que você gastou com profissionais de marketing, criação e produção de anúncios, tecnologias e todas as despesas ligadas às campanhas também entram nesse pacote.

Esclarecimentos feitos, basta pegar esses números e aplicar a fórmula:

ROI = (Ganho do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento

O resultado do cálculo será uma porcentagem que representa o retorno obtido em relação ao valor investido. Se o ROI for positivo, significa que o investimento gerou lucro. Se for negativo, indica que o investimento resultou em prejuízo

Por fim, medir e otimizar as campanhas de mídia paga é fundamental para alcançar o público-alvo e converter vendas. Esse processo inclui entender o comportamento do consumidor, escolher os canais estrategicamente, realizar testes A/B, fazer pesquisas de palavras-chave, refinar a segmentação, usar ferramentas de automação, aproveitar o remarketing, monitorar os resultados e ajustar as campanhas.

Gostou do nosso artigo e quer ficar de olho nas novidades. Então, nos acompanhe nas redes sociais. Estamos no Instagram, no LinkedIn, no Facebook e no YouTube.

Deixe uma resposta

%d