No dia 11 de novembro, é comemorado na China o dia dos solteiros. Mas o que isso tem a ver com Black Friday ou até mesmo com o Brasil?

Continue lendo para saber tudo sobre essa data que aparentemente chegou para ficar no Brasil. 

O que é o 11.11?

Como já mencionado, a data faz alusão ao dia dos solteiros, mas, claro, ela não foi escolhida aleatoriamente. Pelo número 1 (um) representar justamente o solteiro, a data caiu como uma luva para os organizadores do dia lá na China.

De todo modo, a data ganhou uma proporção maior a partir de 2009, com a gigante do e-commerce chinês, Alibaba, dona da Ali Express, empresa muito popular no Brasil nos últimos anos por realizar entregas por aqui de produtos chineses, registrando o termo duplo 11 e difundindo mais a data comercial.

Dessa forma, a data ganhou seu caráter comercial e ganhou a simpatia do público, que todo ano aguarda ansiosamente o dia 11/11 para comprar produtos com super descontos.

Por que a data ficou popular no Brasil?

Antes mesmo das marcas chinesas entrarem de vez no mercado brasileiro, elas já estavam ganhando força por aqui.

Por conta disso, aparelhos eletrônicos, como smartphones, por exemplo, de marcas chinesas ganharam popularidade por entregar um hardware igual ou melhor do que dos concorrentes por um preço muito abaixo do oferecido normalmente no mercado.

Vale a leitura: Quais atitudes tornam seu e-commerce mais confiável? Confira 10 dicas!

Dessa maneira, muitos consumidores brasileiros optaram por investir o dinheiro na importação de produtos de marcas chinesas, a fim de ter a mesma qualidade, pagando um preço mais em conta.

Isso fez com que o 11.11 caísse nas graças dos consumidores e também do comércio brasileiro, que já está enxergando oportunidades de lucro na data.

E-commerce brasileiro já começa a aderir ao 11.11

Na onda da data comercial pré Black Friday, a rede de lojas brasileira Americanas.com entrou de cabeça nas ofertas e promoções, oferecendo descontos para o dia 11.11.

Essa é uma tendência que pode surgir em mais empresas brasileiras nos próximos anos, principalmente com as marcas chinesas fixando-se de vez aqui no Brasil.

Leitura imperdível: China: o quanto o país nos impacta e como podemos aprender com ele

Curtiu o conteúdo? Então não deixe de compartilhar em suas redes sociais. 🙂

Deixe uma resposta