“Com o Exército das Poderosas, queremos quebrar o paradigma de que os profissionais mais experientes, com idade acima de 45, 50 anos, não servem mais para o mercado. As empresas precisam criar o aculturamento de contratar e integrar essas pessoas. Os empresários têm medo mudar esse mindset, mas a verdade é que muitos deles têm essa idade de mais de 45 anos, então não dá para entender”.

Com essa reflexão, o fundador do Reclame AQUI, Mauricio Vargas, iniciou a live desta semana em seu LinkedIn. Para assistir a transmissão completa, basta clicar aqui!

O tema da conversa foi a dificuldade de profissionais com idades acima de 45 anos conseguirem emprego. Para isso, ele convidou cinco profissionais que fizeram o curso Exército das Poderosas. Algumas delas conseguiram recolocação, outras, não, e estão à disposição das empresas.

Participaram do bate-papo Luciana Ackermann, jornalista, Marisa Castro, gerente de eventos, Laudiceia Maciel, que trabalha com atendimento ao cliente, Maria de Fátima Cabral Costa, agente de atendimento, e Márcia Barufaldi, agente de relacionamento.

RA Trust: participe do maior evento global online de atendimento e reputação

“É como se você nascesse de novo”


Para Maria de Fátima, que está atuante no mercado de atendimento, a sensação de estar novamente ativa e entre jovens na equipe é de renascimento. “É como se você nascesse de novo. Porque eu posso continuar fazendo o amo, atender. Sou formada em duas faculdades relacionadas a isso, de lidar com pessoas”, explicou.

Durante a conversa, que teve intensa interação do público, foram levantados pontos que as empresas têm a ganhar com essa integração de gerações. Mas também os efeitos dessa iniciativa sobre os profissionais. Conforme acrescentou Márcia Barufaldi, “é óbvio que quando alguém está desempregado você se considere incapaz. Sua autoestima está baixa e acha que não pode mais nada! Eu me considero jovem tenho 61 anos e quero continuar contribuindo”.

“Existe nisso tudo evolução pessoal, inclusão de força de trabalho, novas cabeças pensando nos desafios das empresas e trazendo ideias para soluções. É incrível saber que você ainda é útil. Mas pense só: daqui a 10 anos muitos profissionais estarão com mais de 50 anos. Sendo assim, eles não serão mais úteis?”, questionou Marisa Castro.

Nem todas as reclamações são passíveis de moderação. Saiba por quê!

Vem aí a segunda edição do Exército das Poderosas


Há um ano o Instituto Reclame AQUI colocava em prática o projeto Exército das Poderosas justamente para levantar esse tema e provocar as empresas para uma mudança de mindset sobre a mão de obra de profissionais acima dos 50 anos de idade. Além disso, o curso ofereceu capacitação na área de atendimento. A intenção também foi de empoderar esses profissionais e dar um fôlego novo para quem estava fora do mercado de trabalho ou que queriam buscar novos caminhos em suas profissões. 

“Estamos lançando a segunda edição do Exército das Poderosas. Será online. Em breve vamos começar a divulgação e queremos que mais empresas sejam nossas parceiras para ampliarmos essa rede de oportunidades. As diferenças fazem a inovação acontecer. Algumas empresas já acordaram para isso, mas muitas ainda precisam vencer o medo de contratar profissionais com mais estrada”, analisou Vargas.

Laudiceia Maciel foi uma das “poderosas” da primeira edição. Atualmente, procura uma recolocação profissional. Para ela, o projeto deu novo ânimo. “O Exército lapidou o conhecimento que eu tinha. E eu saí melhor. Agora, às vezes, as empresas não estão preparadas para você. Não querem solucionar os problemas, preferem que o processo seja mecanizado e nada mais, mas as coisas mudaram muito. Então é preciso uma mudança de atitude e cultura de todos os lados”, finaliza.

O poder e a força do empreendedorismo feminino na Live do Mauricio

Deixe uma resposta