Blog Reclame AQUI

blog reclame aqui
Para o consumidor

Imposto de Renda 2022: veja quais documentos você precisa separar antes da declaração

O Blog Reclame AQUI mostra alguns documentos básicos que você vai precisar para fazer sua declaração de Imposto de Renda

O Blog Reclame AQUI continua te ajudando a fazer tudo certinho na hora de declarar o Imposto de Renda 2022 – ano-base 2021. Já mostramos quem são os contribuintes que precisam fazer a declaração e onde é possível iniciar a prestação de contas à Receita Federal.

Agora vamos entender em quais documentos você pode encontrar as informações necessárias para declarar seu Imposto de Renda. Lembre-se que o prazo vai até 31 de maio e já é possível fazer download do programa no site da Receita Federal

Informações importantes

Antes de tudo, para começar o seu Imposto de Renda, será necessário preencher dados básicos sobre você. Por isso, use qualquer documento de identificação para incluir seu nome, CPF e data de nascimento. Para os seus dependentes será preciso indicar o grau de parentesco e também a data de nascimento.

Busque em comprovantes de residência seu endereço atualizado, para garantir que tudo seja cadastrado corretamente. Também será preciso a cópia da sua última declaração de Imposto de Renda. Nela há um código que pode ser inserido no programa do IRPF 2022 para resgatar os dados que você preencheu da última vez.

Você vai necessitar ainda dos dados da sua conta-corrente para você receber a restituição ou ser debitado dos impostos. Não esqueça também de incluir sua presente ocupação.

Documentos para declaração de renda

Aqui entram todos os informes de rendimentos, ou seja, documentos que indicam ganho financeiro de uma pessoa física. A depender do tipo de rendimento, esses registros podem ser disponibilizados pelo banco onde você possui conta-corrente ou investimentos, pela empresa onde trabalha, etc. Dessa forma, para o seu Imposto de Renda você vai precisar dos informes:

  • de instituições financeiras e corretoras de valores; 
  • referentes a salários, pró labore, distribuição de lucros, aposentadoria e pensões;
  • ganhos vindos de aluguéis de bens móveis e imóveis; 
  • de participação em programas fiscais (Nota Fiscal Paulista, por exemplo).

É importante também reunir tudo que indique renda recebida de outras fontes, como doações e heranças. Se você tem uma empresa, tenha separado o livro caixa, para saber todos os fluxos de entrada de capital, assim com DARFs de Carnê-Leão.

Documentos para declaração de bens e direitos

Nesta parte estão englobados todos os comprovantes de aquisição e venda de bens ou títulos no último ano. Portanto, no caso de imóveis, isso pode incluir matrícula de um imóvel e/ou escritura de compra e venda. Também pode ser necessário boleto do IPTU. Além disso, é também importante ter as seguintes informações do imóvel: data de aquisição, área, registro de inscrição no órgão público e registro no cartório de imóveis.

A mesma lógica vale para veículos, como carros, aeronaves e embarcações. Para declarar, tenha em mãos o número de registro no órgão fiscalizador correspondente, como é o caso do Renavam nos automóveis.

Para esses bens que podem ser financiados, também é preciso declarar a quantia já paga. Por isso, separe também os comprovantes das parcelas quitadas em 2021. Será preciso incluir o quanto foi pago no ano anterior, somando os 12 meses, e a quantia quitada até dezembro de 2021. 

Para aqueles que possuem participação em empresas, reúna documentos que comprovem a posição acionária.

Documentos para declaração de ônus e dívidas

Na hora do Imposto de Renda, não negligencie seus empréstimos. Eles precisam vir declarados na parte de “Ônus e dívidas”. Desse modo, tenha com você as informações e documentos fornecidos pela instituição com a qual você contratou o empréstimo. Afinal, é preciso detalhar cada valor ainda devido, além do número de parcelas e o valor que já foi pago até 31 de dezembro.

Financiamentos também entram aqui. Mas para bens adquiridos, como imóveis e veículos, eles devem ser incluídos na seção “Bens e Direitos”, como foi explicado acima. 

Documentos para declaração de rendas variáveis

Nessa parte do Imposto de Renda entram todos os seus investimentos que podem ter te gerado uma renda variável em 2021. Isso inclui ações, BDRs, ETFs, fundos imobiliários, criptomoedas, etc.

Por isso, para declarar esses ganhos, é importante ter acesso ao controle de compra e venda de ações, com a apuração mensal de imposto. Do mesmo modo, separe os DARFs referentes a essas movimentações e os informes de rendimento auferido em renda variável.

Todas essas informações são enviadas pelas instituições financeiras que você utilizou para fazer os investimentos. Caso ainda não tenha recebido, solicite o quanto antes.

Documentos para pagamentos e deduções efetuadas

Ao declarar seu Imposto de Renda, é preciso indicar a quantia paga em alguns serviços específicos. Indicar essas despesas podem diminuir o valor de imposto a pagar ou aumentar a restituição a receber. 

Portanto, se teve gastos com planos de saúde, busque os recibos de pagamento, junto com o CNPJ da empresa. O mesmo vale para despesas médicas e odontológicas em geral: tenha os recibos com as quantias discriminadas. Os pagamentos feitos com educação também entram aqui. Para isso, você vai precisar dos comprovantes dos cursos, com o CNPJ da empresa.

Para aqueles que contribuem para previdência social e privada, é preciso ter também os comprovantes de pagamento e indicar o CNPJ da empresa. Além dessas situações, também são pagamentos dedutíveis as doações e contratações de prestadores de serviços. Nesses casos, tenha com você os recibos.

Fonte: G1/ Receita Federal

Veja alguns documentos básicos para fazer sua declaração de Imposto de Renda
Confira uma lista de alguns documentos básicos para fazer sua declaração de Imposto de Renda

Deixe uma resposta