Blog Reclame AQUI

blog reclame aqui
Mercado

Como o Voice Commerce pode te ajudar a vender mais

“Ei Siri”, “Ok Google”, “Alexa” e por aí vai. Certamente, você já deve ter usado algum desses assistentes de voz para pesquisar coisas na internet, não é mesmo? Agora, você […]

“Ei Siri”, “Ok Google”, “Alexa” e por aí vai. Certamente, você já deve ter usado algum desses assistentes de voz para pesquisar coisas na internet, não é mesmo? Agora, você já aproveitou o recurso para fazer compras online? Pois bem, o uso dessas interfaces conversacionais no comércio eletrônico é conhecido como voice commerce.

E olha: as pesquisas por voz estão entre as tendências de marketing digital, viu? Para você ter uma ideia do potencial da tecnologia, 71% dos consumidores preferem fazer pesquisas por voz em vez de digitar. É por isso que o uso de assistentes virtuais cresceu cerca de 47% durante a pandemia. E a expectativa é que o uso da ferramenta continue em alta nos próximos anos.

Interessou-se pelo assunto e quer saber mais sobre voice commerce? Então, continue a leitura porque trouxemos várias dicas valiosas para usar a tecnologia e vender mais no e-commerce! Veja!

O que é voice commerce?

O voice commerce é um conjunto de tecnologias que permite que o consumidor explore e compre produtos ou serviços por meio de comandos de voz. Aliás, a interface conversacional serve para facilitar a jornada de compra e melhorar a acessibilidade.

Funciona mais ou menos assim: o consumidor aciona o assistente de voz preferido e diz que deseja fazer uma compra específica. Daí, o usuário é direcionado para páginas com o serviço de voice commerce disponível para prosseguir a compra.

Nesse contexto, dá para fazer pesquisas por voz de produtos, ouvir do assistente virtual as características do produto e até fechar a compra informando endereço e dados de pagamento. Tudo isso sem nem precisar tocar no celular ou qualquer outro dispositivo eletrônico. Legal, né?

Você vai gostar de ler também: Guia do e-commerce: tudo sobre o comércio eletrônico.

Quais são os benefícios do voice commerce?

O voice commerce é uma opção a mais para o consumidor fazer compras pela internet. Veja, a seguir, algumas vantagens do comércio por voz.

Melhora a experiência do cliente

Se tem uma coisa que o consumidor valoriza é praticidade. Uma prova disso é que cerca de 23% dos clientes abandonam o carrinho quando precisam criar uma conta para fechar uma compra. O fato é que formulários longos e complexos desanimam o comprador em potencial.

O voice commerce garante mais conveniência ao cliente e complementa a estratégia omnichannel, sabe? Você pode estar com as mãos ocupadas preparando um pão caseiro, por exemplo, e no meio do processo lembrar que precisa comprar um presente para o Dia das Mães.

Em vez de deixar para depois ou lavar as mãos correndo para fazer o pedido, basta dar comandos de voz ao assistente virtual e fechar o pedido sem precisar tocar o aparelho. É rápido e prático.

Outro ponto interessante é a acessibilidade. Quem tem dificuldades motoras e não consegue usar muito bem telas e teclados, pode ter uma melhor experiência de compra ao fechar o carrinho por comando de voz.

Vale a leitura: A diferença entre Customer Success (CS) e Customer Experience (CX).

Garante vantagem competitiva ao seu negócio

De acordo com a previsão da Zion Market Research, o mercado global de assistentes de voz deve movimentar cerca de US$7,7 bilhões até 2025. A expectativa é que o setor cresça 39% por ano.

O problema é que, hoje, ainda são poucos os e-commerces que oferecem uma experiência de voz de ponta a ponta. Em muitos deles é possível usar o recurso apenas para pesquisa de palavras-chave e o restante da jornada contínua de forma manual.

Então, a tendência é que as empresas que implementarem a estratégia se destaquem da concorrência e conquistem a preferência do público. Isto é, o voice commerce pode ser um diferencial competitivo bem interessante.

Aumenta a taxa de conversão

Com o processo de compra otimizado, é bem provável que os consumidores comprem mais, não é mesmo? O raciocínio é esse mesmo. Como o consumidor tem maior facilidade para fazer compras por meio de comandos de voz, é possível faturar com o aumento nas conversões. Além disso, a comodidade pode ajudar na fidelização e garantir compras recorrentes.

Veja mais algumas dicas para vender mais: Como aumentar a taxa de conversão do seu e-commerce.

Quais são os principais desafios do voice commerce?

Já deu para perceber que o voice commerce traz inúmeras oportunidades de negócios, certo? No entanto, como nem tudo são flores, a implementação da estratégia envolve uma série de dificuldades. Vamos explicar melhor quais são os pontos que precisam de atenção dobrada.

Privacidade e segurança digital

Você já se assustou com o assistente de voz do seu celular se intrometendo na sua conversa? Apesar de prático, ainda existem algumas falhas que geram uma certa desconfiança do consumidor. Afinal de contas, quem garante que a interface não está gravando tudo e compartilhando com terceiros, não é mesmo?

De acordo com uma pesquisa feita pela PcW, os consumidores ainda estão com um pé atrás com a tecnologia. Segundo dados, a maioria dos usuários de assistentes de voz usa a ferramenta apenas para fazer perguntas simples na internet.

Muitos têm medo de usar a tecnologia para qualquer coisa que envolva dinheiro e dados pessoais. Olha só: os consumidores usam a tecnologia — diariamente ou mensalmente — para:

  • fazer pesquisas em buscadores (89%);
  • fazer perguntas simples (88%);
  • checar o clima e notícias (85%);
  • tocar música (82%);
  • ajustar o despertador ou lembrete (81%);
  • enviar uma mensagem de texto ou e-mail (74%);
  • verificar a situação do trânsito (73%);
  • adicionar itens à lista de compras (58%);
  • comprar alguma coisa (50%);
  • controlar dispositivos inteligentes da casa (44%);

Vamos combinar que essa preocupação com a privacidade é compreensível, né? Sendo assim, um dos maiores desafios das empresas é mostrar aos clientes que todo o processo é seguro mesmo.

Autorização de compras

Quem nunca se assustou com a conta de cartão de crédito após comprar alguns recursos em jogos para as crianças? Aliás, há pouco tempo viralizou o caso de um pequeno de 3 anos que pegou o celular da mãe e gastou mais de R$400 em fast food. A tutora só percebeu o rombo no bolso quando o entregador chegou em casa com os lanches.

Esse risco também existe com as compras com assistentes virtuais. As crianças — principalmente aquelas que ainda não sabem ler — usam o recurso de pesquisa por voz para navegar pela internet.

Sendo assim, apesar de toda a praticidade do processo feito inteiramente por voz, ainda serão necessários mecanismos de validação como códigos de autorização por voz e senha para evitar compras indesejadas.

Tecnologia

O voice commerce exige uma tecnologia de processamento de linguagem natural (PNL) bem avançada. E não poderia ser diferente: o consumidor fala e o assistente de voz precisa entender direitinho para realizar o comando certo, não é mesmo?

O fato é que as tecnologias do setor já estão bem avançadas, mas ainda precisam de aperfeiçoamentos. Além de entender as falas e apresentar respostas, a ferramenta deve responder com naturalidade. Aquelas vozes robóticas podem gerar um certo desconforto e até desconfiança aos usuários, sabe? Então, aprimorar esses recursos é uma necessidade.

Como aplicar a estratégia no seu negócio?

São muitos os desafios, mas vale a pena enfrentá-los para melhorar a experiência do cliente, aumentar as vendas e elevar o faturamento. Veja, a seguir, algumas dicas para preparar o seu e-commerce para as vendas por comandos de voz.

Pense nos aspectos técnicos

Lembra que acabamos de falar sobre a tecnologia do voice commerce? Pois bem, para implementar o recurso na sua empresa, é necessário contar com apoio de desenvolvedores especializados na área.

Um dos aspectos mais importantes é a API — sigla para Application Programming Interface ou interface de programação de aplicação. Esse recurso faz uma espécie de ponte que permite que sistemas troquem informações entre si.

Para que o assistente virtual consiga acessar as informações do e-commerce, por exemplo, ele precisa dessa abertura.

Otimize os conteúdos com SEO

Não adianta ter um site com recurso de voice commerce se o consumidor não conseguir chegar até ele durante as pesquisas de voz, não é mesmo? Logo, é fundamental investir em técnicas de SEO específicas.

Bom uso da palavra-chave, URL otimizada, engajamento, velocidade de carregamento e qualidade do conteúdo são alguns aspectos importantes.

Leia também: Conheça a nova atualização do Google e como pode impactar o seu e-commerce

Ajuste a linguagem

Veja bem: os conteúdos serão lidos em voz alta pelos assistentes virtuais, certo? Logo, os conteúdos precisam ser fáceis de ler, curtos e concisos. Daí a importância de ajustar a linguagem escrita para a falada.

Imagine uma pessoa que quer saber a data exata da Black Friday 2022. Ao fazer a pesquisa de texto, é provável que o consumidor digite “Black Friday 2022”,“data da Black Friday 2022” ou algo parecido.

Em pesquisas de voz, os usuários costumam usar perguntas, e não palavras-chave. Por exemplo: “qual dia será a Black Friday deste ano?”, “quando é a Black Friday de 2022” e por aí vai.

Moral da história: é necessário produzir conteúdos considerando essas diferenças nos termos usados para pesquisa. Devido a essa preferência por perguntas, é legal elaborar FAQs no e-commerce para garantir melhores posicionamentos nos buscadores e facilitar o trabalho dos assistentes de voz.

Faça descrições de produtos mais detalhadas

Quem gosta de ler sabe que a maioria dos romances, livros de aventura e ficção científica não trazem recursos visuais. Apesar disso, a riqueza de detalhes ao descrever personagens e ambientes nos faz imaginar pessoas e cenários, não é mesmo?

A lógica das pesquisas por voz é bem parecida. Se o consumidor pretende fazer uma compra por meio de uma smart speaker, por exemplo, ele não terá nenhum recurso de imagem disponível.

Sendo assim, a descrição dos produtos precisa ser bem detalhada para que o consumidor possa imaginar como é o item. Lembre-se ainda de fazer um bom uso da palavra-chave e simplificar a linguagem para facilitar a leitura do assistente de voz, combinado?

Explique ao cliente como usar o recurso

Nem todos os consumidores sabem que o recurso existe. Alguns até sabem, mas não conseguem usar. Então, quando o e-commerce estiver pronto para receber pedidos por voz, é legal informar aos consumidores a novidade e fornecer um passo a passo para usar a ferramenta direitinho.

Vale criar uma FAQ com instruções bem claras, fazer campanhas de marketing e capacitar os colaboradores para esclarecer dúvidas dos consumidores durante o processo de compra.

Conquiste a confiança do cliente

Apesar de o voice commerce ser uma tendência, não dá para negar que muitos consumidores ainda têm uma certa resistência com a ferramenta. Até mostramos alguns dados para comprovar isso, lembra?

Então, para deixar o e-commerce livre de suspeitas, é fundamental cuidar da reputação da marca e investir em recursos extras para conquistar a confiança do cliente.

Manter uma página no Reclame AQUI e interagir com os consumidores por lá, por exemplo, é uma boa estratégia. Afinal de contas, faz parte da jornada de compra dar aquela passadinha básica na página da marca para saber se ela tem o costume de resolver eventuais problemas e oferecer um bom atendimento ao cliente.

Outra tática interessante é incluir reviews e avaliações no e-commerce. Empresas com mais de quatro estrelas são vistas como confiáveis. Essa credibilidade ajuda na atração, conversão e fidelização.

Os reviews de produtos também são legais porque auxiliam o consumidor no processo de decisão. Mesmo com a descrição detalhada, o cliente pode ter dúvidas quanto a qualidade dos produtos. Ao ler depoimentos, é possível entender como foi a experiência de outros compradores para tomar uma decisão mais acertada, sabe?

Em resumo, voice commerce nada mais é que a possibilidade de fazer compras pela internet por meio de comandos de voz. Essa é uma tendência que promete melhorar a experiência do cliente e aumentar o faturamento do comércio eletrônico. No entanto, como muitos consumidores ainda estão com o pé atrás com a tecnologia, é importante usar estratégias para conquistar a confiança dos compradores para vender mais.

Viu só como os reviews ajudam nas vendas? Para saber mais, baixe agora mesmo o super infográfico com 5 benefícios em divulgar reviews verdadeiros. Você vai ver como a estratégia contribui para as vendas e para a reputação do seu negócio.

Deixe uma resposta