blog reclame aqui

Páscoa com chocolate e muitos juros? Preços altos vêm com força para a data em 2023

Não é de hoje que a inflação tem apertado o bolso do consumidor e na Páscoa ela marcou sua presença novamente. Os preços mais caros têm dado as caras e muita gente vai deixar de comprar produtos típicos da época justamente pelos custos mais elevados.

Em pesquisa realizada pelo Instituto Reclame AQUI entre os dias 27 e 28 de março, 79% dos respondentes da pesquisa declararam que os valores dos produtos relacionados à Páscoa estão mais altos se comparados aos valores de 2022. 

Páscoa 2023
Consumidores já sentiram o peso dos preços mais altos na Páscoa em 2023

Elevação dos preços desde 2021

Levando em consideração que em 2022 o Reclame AQUI fez a mesma pergunta, a maioria apontava a escalada de carestia também em relação a 2021: no período, 87% dos consumidores que responderam a pesquisa já consideravam os produtos de Páscoa mais caros.

Parece que a montanha dos custos só sobe e isso impactará diretamente as compras na hora de escolher se alguns itens entrarão no cardápio – ou não – no feriado.

34% dos respondentes indicaram que não comprarão chocolates na Páscoa por conta dos valores praticados. Já 28% apontaram que, mesmo com o valor mais alto, não deixarão de comprar chocolate na data.

Chocolate x almoço em família

Seja barra de chocolate, caixas de bombons ou uma cesta cheinha de guloseimas, 46% dos pesquisados pretendem investir até R$100 em chocolates neste ano.

 Já outros 33% decidiram investir um pouco mais: entre R$100 e R$300 para os chocolates da época.

Mas a Páscoa ainda envolve os almoços e reuniões de família. E conservas, pescados, azeites, bebidas e verduras não fugiram da mira entre os alimentos com preço em elevação, por parte dos consumidores. 

Em 2022, quem respondeu à consulta do Reclame AQUI apontou verduras (18,3%), depois de chocolates, como um dos itens mais caros. Já este ano, bacalhau e pescados (19,1%) assumiram a segunda posição.

No total dos pesquisados, quando questionados sobre comprar os produtos para a Páscoa, 36% afirmaram que a inflação influenciou a decisão, e neste ano nem o coelhinho dos ovos de chocolate e nem o almoço com itens especiais farão uma visitinha em suas casas. 

Enquanto isso, 31% dos respondentes abriram mão da tradição e darão espaço a outros pratos e itens para a Páscoa em 2023.

E aí consumidor, você faz parte dos adeptos à novas possibilidades na Páscoa ou seguirá o figurino, não deixando faltar chocolate e itens tradicionais da Páscoa na sua casa?

Leia também: Anvisa suspende produção, distribuição e comercialização de alimentos da marca Fugini

precisa reclamar? acesse o Reclame AQUI

Deixe uma resposta

%d